/ Set
2020

8 Questões a
Noé Duchaufour-Lawrance

Porquê deixar a França e escolher Portugal?

Escolher um novo país significa sair da nossa zona de conforto, olhando e depreendendo as coisas de uma maneira diferente. Eu cresci na Bretanha, em França, estava a viver em Paris e à procura de um sítio para respirar e olhar para o horizonte, era uma altura na minha vida em que precisava realmente da sensação de espaço e de um sítio com um espírito de génese. Estes pontos são necessários e inspiradores para o meu trabalho. Em Portugal, o posicionamento geográfico oferece-nos esta oportunidade, o oceano e a terra.

 

Trabalhei muito na minha vida, tendo um carinho especial pelo meu tempo passado com artesãos. Também acho a indústria fascinante, todo o processo que envolve humanos. Eu queria encontrar um sítio onde o design fosse parte da produção.

 

Portugal é um país em mudança – parece que neste momento está em transição, assente na herança mas encontrando-se em movimento, e esta dinâmica é uma das suas vantagens. Sinto que é o único país que volta sempre a si mesmo. Ancorou-se por necessidade em certas tradições, e este elo forte ainda pode ser sentido aqui. O país mantém-se agarrado a uma certa forma de “simplicidade” que, na minha opinião, é essencial. Escolher Portugal é seguir uma nova abordagem – ficar fisicamente próximo do trabalho dos artesãos, nas suas oficinas.

 

É cativante ser um estrangeiro num novo país, é algo novo e revigorante. A base deste projeto reside na sensação, nos momentos de entusiasmo ao longo dessas explorações, como no início de uma história de amor.

Ler história
+