Manifest

Made in Situ é a materialização de uma dinâmica criativa de intuição, enraizada nas riquezas de um território, dos seus artesãos e das suas conexões sistémicas com a natureza, resultando num ciclo de estações, cada uma com a sua própria história.

“As peças desenhadas são fruto das minhas aventuras, da exploração de texturas, padrões e materiais, geológicos e biológicos, e das suas técnicas relacionadas. Acima de tudo, o meu estímulo vem do conhecimento e sensibilidade humanos, que nos conectam e estão incrustados em cada lugar específico.” — Noé Duchaufour-Lawrance

O estúdio Made in Situ Lisbon existe para apoiar estas aventuras e mergulhar por estas histórias adentro, sendo uma plataforma que nutre uma série de trocas interdisciplinares, fomentada pelas criações e pelo processo das mesmas, uma plataforma que reflete o atual movimento de transição da nossa relação humana com a Terra.

01.
MATERIAIS, UM TERRITÓRIO A SER EXPLORADO

Em Portugal, a Terra e o Mar estão sempre presentes. O Mar, um elo entre a diversidade que cria união neste país, permite-nos pensar, planear, sonhar e assentar na vastidão do horizonte e espaço. A Terra, por outro lado, em todas as suas formas, convida-nos a fazer, a criar e concretizar. De Norte a Sul, a nossa exploração livre do país confronta-nos regularmente com paisagens de tirar o fôlego, ricas em padrões e formas, geológicos e biológicos. (Re-)conecta-nos com a Natureza, aguçando instintos e emoções, despertando vividamente o processo criativo. Explorando a olaria de Barro Negro da região de Tondela, o Bunho, fibra vegetal colhida por artesãos perto de Santarém, a Cortiça vinda do Algarve, a Pedra das pedreiras de Estremoz ou o Bronze de Peniche; a nossa busca incessante por habilidades e ofícios Portugueses é uma maneira cativante de conhecer e vivenciar as regiões do país a fundo.

02.
O CENTRO DO PROCESSO,
MÃOS E HUMANIDADE

A derradeira fonte de inspiração reside nos artesãos que conhecemos. Cada colaboração é intrinsecamente alimentada pela troca. Despoletando uma forma de comunicação específica e individualizada entre o design e o ofício: um respeito pelo processo e pelas tradições enriquece consistentemente a reflexão à volta do design. Quando é libertada desta maneira, a criatividade floresce. Temos uma abordagem de “todas as mãos em uníssono”. As peças são cuidadosamente feitas à mão, entre o nosso estúdio e a oficina dos artesãos: cada história única encarna assim nas formas que daí resultam.

03.
EM BUSCA DOS RITMOS DA NATUREZA

Nesta busca por valores que nos levem de volta às origens, ao que é essencial, ao ritmo e fluidez naturais do tempo, o ato de abrandar e refletir sobre as influências multidimensionais em cada projeto acaba por se tornar uma necessidade. O que está a ser transmitido? Como nos estamos a relacionar com o ecossistema? Basta um olhar mais atento à tradição, e à relação desta com a materialidade, para nos levar a uma descoberta da sustentabilidade que lhe é inerente, fazendo aflorar assim novas questões. As peças Made in Situ tornam-se assim resultado de sistemas e de conjuntos, e são, muitas vezes, uma história diferente daquela que pensámos que iríamos viver ou contar. Os materiais são crus, as estações alimentam os sentidos; a Natureza é a fonte.

04.
COLEÇOES E ESTAÇÕES

Criado por Noé Duchaufour-Lawrance, o Made in Situ apresenta um número muito limitado de peças em cada coleção, prestando homenagem à beleza, às pessoas e à funcionalidade. As peças convidam outros a experimentar as nuances de explorar um novo ambiente através da união dos sentidos, artesanato e Design. Este é um projeto de perceção. Temos o cuidado especial de contextualizar cada coleção que introduzimos no nosso espaço de Lisboa, partilhando histórias acerca do processo criativo, das emoções, da sabedoria, dos humanos excecionais, do seu território e da nossa jornada.

05.
ESPAÇO MADE IN SITU EM LISBOA

O espaço Made in Situ é uma plataforma onde pretendemos oferecer às pessoas uma oportunidade de estar em contato direto com o nosso trabalho. Ocasionalmente, iremos organizar noites baseadas na sensação. Estas noites, em conjunto com a coleção em exibição, serão a oportunidade perfeita para a partilha das nossas descobertas sensoriais e irão ecoar inspirações, interpretações e evocações através de gastronomia, música, eventos, conversas e experiências.

Noé Duchaufour-Lawrance

Noé Duchaufour-Lawrance é um designer Francês que trabalha num largo espetro de temas para criar um corpo unificado de trabalho, com uma narrativa profundamente baseada na natureza, apoiando-se numa abordagem instintiva e sensível. Nascido no Sul de França em 1974, ele seguiu as pegadas do seu pai, formando-se academicamente em escultura na École Nationale Supérieure des Arts Appliqués et des Métiers d’Art, seguido de uma licenciatura em design de mobiliário, da ilustre Les Arts Décoratifs. Alimentado por um background rico em criatividade, Noé aborda o design com um instinto e sensibilidade que dão forma a projetos que vão desde a arquitetura até ao mobiliário, mais especificamente de interiores, em coleções de edição limitada. O seu trabalho escultural demonstra um respeito pelo passado, combinado com uma linha simples e um desejo honesto de criar peças que perdurem.

Já colaborou com líderes da indústria como Saint Louis, Hermès, Ligne Roset, Cinna, Ceccotti Collezioni, Bernhardt Design, Sèvres, Mobilier National, Dior, Baccarat, La Chance, Petite Friture, Zanotta, Tacchini, ZaoZuo, Kundalini e Neal Feay, tal como com muitas exposições e instituições culturais.

Os seus designs para espaços arquitetónicos incluem boutiques globais para Montblanc, Air France e Business Lounges do SFL, lounges do #Cloud Business Center, o interior do Ciel de Paris e do Sketch em Londres, assim como moradias particulares à volta do globo. A abordagem de Noé ao design é uma celebração da comunhão entre a herança, os materiais, o design industrial, as formas naturais e o artesanato refinado.

noeduchaufourlawrance.com